Nos últimos meses, e o decorrer de todo o ano de 2020, estamos vivendo uma situação totalmente inesperada na história da humanidade mesmo com o avanço da medicina e tecnologia que nos encontramos.

Tivemos que rapidamente nos adaptar e aplicar uma mudança drástica nas nossas vidas e o estresse diante da pandemia causada pelo novo coronavírus, não apenas pelo isolamento social como também pelo pânico e medo, gera terríveis consequências para a nossa saúde mental.

Percebemos o impacto emocional e um aumento preocupante de distúrbios psicológicos em toda a população mundial, e incluído nisso estão os transtornos alimentares, como a compulsão alimentar, a anorexia e a bulimia.

Os transtornos alimentares podem ser tanto derivados do estresse, ansiedade ou depressão como podem surgir como um sintoma secundário ao transtorno alimentar.

Dos transtornos alimentares, o mais comum é a compulsão alimentar, que é caracterizado pelo consumo exagerado de alimentos e está relacionada ao sobrepeso e até mesmo à obesidade.

Essa ingestão ocorre mesmo sem a presença de fome ou necessidade física de se alimentar. Geralmente, um compulsivo alimentar perde completamente o controle sobre o que está comendo e a quantidade, ingerindo grande quantidades de alimentos em um curto espaço de tempo.

Durante a quarentena, muitas pessoas acabaram também por se privar de realizar exercícios físicos, permanecendo quase que totalmente sedentários, causando um reforço extra para o ganho de peso. Com o emocional abalado e poucas coisas que nos proporcione bem-estar, o que restou foi comer. E a comida acaba por ter o papel de fornecer alguma compensação e conforto.

O sobrepeso e obesidade é um dos fatores de risco para o desenvolvimento de casos graves da Covid-19, porém a anorexia e bulimia, apesar de não serem consideradas fator de risco, também podem tornar a infecção pelo novo coronavírus mais crítica, pois torna as pessoas mais frágeis pela própria condição metabólica e a desnutrição.

A anorexia é além da recusa da alimentação e falta de apetite. Acima de tudo é um distúrbio de imagem corporal, que além da privação de alimentos, alguns recorrem à prática excessiva de exercícios físicos e até mesmo o uso de medicamentos laxantes e diuréticos, com a intenção de perder peso cada vez mais peso.

No caso da bulimia, a pessoa come excessivamente e desencadeia um sentimento de perda de controle sobre a alimentação e culpa, acabando por provocar vômitos ou abusar do uso laxantes na tentativa de não engordar.

Em qualquer transtorno alimentar, há a sensação de falta de controle sobre a comida e estão relacionados à sensação de vazio e na compensação da falta de algo.

É preciso estar atento aos sinais e buscar ajuda sempre!

Imagem de Capa: Reprodução

OUTRAS LEITURAS



Márcia Lourenço
Sou Nutricionista e pós-graduada em fisiologia, bioquímica e nutrição do esporte. Apaixonada por nutrição e por comida que nutra o corpo e alma, sem terrorismos! O intuito aqui é orientá-los nas melhores escolhas, publicando dicas alimentares, receitas, curiosidades e estilo de vida. Sintam-se bem comendo bem! 🍏

COMENTÁRIOS