Todos os anos, a cada verão, sempre surge na mídia o mais novo alimento considerado “milagroso” capaz de emagrecer e até mesmo transformar vidas. O que pode mesmo ser transformado é a vida dos produtores e distribuidores desses produtos, pois quando o sucesso explode, os preços acompanham a popularidade.

Com o objetivo de demistificar o poder do óleo de coco que pesquisadores de um estudo recente publicado na Circulation realizaram uma revisão sistemática e metanálise de ensaios clinicos sobre esse alimento, revelado também em uma reportagem na JAMA.

O óleo de coco é rico em gordura saturada e pode, portanto, aumentar os níveis de colesterol do sangue. O Óleo de coco ficou muito popular para substituição de outros óleos de cozinha, sendo considerado uma opção saudável até mesmo para se colocar no café.

Nessa pesquisa foi feita uma revisão do efeito do consumo de óleo de coco nos lipídios no sangue e outros fatores de risco cardiovascular em comparação com outros óleos de cozinha, usando dados de ensaios clínicos.

Descobriu-se que comparado a outros óleos, o de coco parece aumentar o colesterol LDL (o ruim), que aumenta o risco de doenças cardiovasculares, sem oferecer perda de peso, nem melhorias nos níveis sanguíneos de glicose ou nos marcadores inflamatórios.

A nova análise, realizada por pesquisadores de Cingapura, incluiu 17 ensaios clínicos comparando o óleo de coco com pelo menos uma outra fonte de gordura. Os óleos não tropicais mais comuns nos estudos foram óleo de soja, azeite, óleo de cártamo e óleo de canola.

“Isso representa um sucesso notável no marketing do óleo de coco e de indústrias relacionadas, chamando o óleo de coco de um produto natural e saudável, apesar de sua ação conhecida para aumentar o colesterol LDL, uma causa estabelecida de aterosclerose e eventos cardiovasculares”, Frank M. Sacks, MD, da Harvard TH Chan School of Public Health, escreveu em um editorial sobre a nova análise.

“Apesar da crescente popularidade do óleo de coco por causa de seus supostos benefícios à saúde, nossos resultados levantam preocupações sobre o alto consumo de óleo de coco. O óleo de coco não deve ser visto como um óleo saudável para reduzir o risco de doenças cardiovasculares e limitar o consumo de óleo de coco devido ao seu alto teor de gordura saturada.” – Disseram os autores do estudo.

óleo de coco é só mais um alimento. E, como qualquer tipo de gordura, deve ser usado com moderação. Não exagere em óleos seja ele da fonte que for! É essencial equilíbrio e bom senso! Não existe um único alimento que resolva os problemas das pessoas, principalmente de um dia para o outro, que é o que muita gente espera: um milagre!

OUTRAS LEITURAS



Márcia Lourenço
Sou Nutricionista e pós-graduada em fisiologia, bioquímica e nutrição do esporte. Apaixonada por nutrição e por comida que nutra o corpo e alma, sem terrorismos! O intuito aqui é orientá-los nas melhores escolhas, publicando dicas alimentares, receitas, curiosidades e estilo de vida. Sintam-se bem comendo bem! 🍏

COMENTÁRIOS