Uma alimentação saudável e exercícios são, sem dúvida, as melhores armas para vencer o excesso de peso, mas às vezes podem não ser suficientes. Os quilos extras se transformam em obesidade e isso pode significar ter a saúde do seu corpo comprometido.

É possível combater a obesidade com um medicamento? Atualmente não há medicamentos realmente efetivos a logo prazo, além de ainda apresentarem diversos efeitos colaterais, mas este estudo abre caminho para casos mais complicados.

Além do comprometimento definitivo com as mudanças no estilo de vida, existem também duas outras opções potenciais que podem ajudar a quem sofre de obesidade mórbida: cirurgia bariátrica e medicamentos para perder peso.

A primeira opção é invasiva e oferece muitos riscos e complicações, já os medicamentos, nem sempre funcionam e também resultar em alguns efeitos negativos.

Um estudo experimental envolveu 1.961 adultos obesos em 16 países diferentes, no qual os participantes foram divididos em 2 grupos. Um grupo tomou uma dose semanal de um medicamento que está sendo desenvolvido chamado Semaglutida, já usado no tratamento do diabetes tipo 2. Enquanto o grupo controle tomou apenas um placebo. Todos os participantes fizeram um curso de intervenção de estilo de vida para perda de peso.

Após 68 semanas de investigação, os participantes que tomaram o placebo perderam uma pequena quantidade de peso, enquanto os que tomaram 2,4mg de Semaglutina perderam uma média de 14,9% do peso corporal, sendo que três quartos (75%) perderam mais de 10% do peso corporal e mais de um terço perdeu mais de 20%.

Os efeitos da Semaglutida é de induzir a perda de peso reduzindo o apetite e aumentando a sensação de saciedade devido a uma variedade de efeitos no cérebro.

Isso torna o medicamento até duas vezes mais eficaz do que as drogas existentes para perder peso, dizem os pesquisadores, aproximando-se do tipo de eficácia das cirurgias.

“Nenhuma outra droga chegou perto de produzir esse nível de perda de peso – isso é realmente uma virada de jogo “, diz a pesquisadora de obesidade Rachel Batterham, da University College London. “Pela primeira vez, as pessoas conseguem com os medicamentos o que só era possível com a cirurgia para emagrecer ”.

Além de perder peso, os participantes também tiveram reduções em vários fatores de risco cardiometabólico e relataram melhorias na qualidade de vida.

Apesar de os medicamentos serem muito úteis a curto prazo para ajudar em uma rápida perda de peso em casos de obesidade grave, eles não são uma solução mágica para casos de pouco peso extra.

O importante mesmo é estar consciente do estilo de vida, realizar mudanças comportamentais, como praticar exercícios físicos regularmente, fazer melhores escolhas alimentares e moderar na ingestão de alimentos.

Imagem de Capa: Jcomp no Freepik

OUTRAS LEITURAS



Márcia Lourenço
Por Márcia Lourenço. Sou Nutricionista e pós-graduada em fisiologia, bioquímica e nutrição do esporte. Apaixonada por nutrição e por comida que nutra o corpo e alma, sem terrorismos! O intuito principal da Ideias Nutritivas é trazer novidades e curiosidades sobre nutrição orientando-os nas melhores escolhas, publicando dicas alimentares, receitas, curiosidades e estilo de vida. Além disso, estou aqui para incentivar pensamentos e atitudes positivas, com conteúdos inspiradores e histórias motivadoras que nutram os seus sentidos! 🍏

COMENTÁRIOS