Os sonhos fascinaram os humanos ao longo da história, e a questão de por que sonhamos permanece um mistério. No entanto, novas pesquisas dentro da comunidade científica parecem ter se aproximado da resposta.

A hipótese publicada na revista Patterns sugere que nossos sonhos ajudam nossos cérebros a generalizar melhor nossas experiências diárias. Os neurocientistas têm muitas outras teorias, mas a natureza abstrata dos próprios sonhos contradiz as hipóteses anteriores.

Esta pesquisa, no entanto, vai a essência da questão, tomando uma abordagem objetiva e não conceitual.

Dr. Erik Hoel, um professor assistente de pesquisa de neurociência na Universidade Tufts, revela uma nova teoria dos sonhos. Ele a chama de hipótese do cérebro superajustado, que afirma que os cérebros dos organismos se ajustam muito bem à sua exposição diária a estímulos.

Por sua vez, isso causa má generalização e ‘overfitting’. Dr. Hoel acredita que os sonhos servem como uma maneira de corrigir os erros de generalização do cérebro. Os sonhos ajudam o cérebro a “reduzir o zoom” para obter uma imagem mais clara das experiências da vida.

“Há um número incrível de teorias sobre por que sonhamos”, diz Hoel . “Mas eu queria chamar a atenção para uma teoria dos sonhos que leva o próprio sonho muito a sério – que diz que a experiência dos sonhos é o motivo pelo qual você está sonhando.”

A teoria dos sonhos compara o cérebro ao aprendizado de máquina

Dr. Hoel compara o cérebro a máquinas programadas por Inteligência Artificial para realizar tarefas específicas no papel. Quando a IA se familiariza demais com os dados, ela é treinada.

Muitas vezes, assume que encontrará esses mesmos cenários em todos os lugares. Em outras palavras, conforme a IA aprende, ela funciona bem em um conjunto de dados, mas não se ajusta bem a outros.

Os cientistas de dados corrigem esse problema comum programando um pouco de caos nos dados. Em um método de regularização chamado “dropout”, os cientistas ignoram dados específicos. Dessa forma, a IA evita o overfitting e generaliza as experiências com mais eficiência.

Você pode comparar isso com caixas pretas aleatórias que aparecem de repente na tela interna de um carro autônomo. O carro veria as caixas pretas e se concentraria na imagem maior de seus arredores. Ao não se prender aos detalhes, a IA entenderá melhor a ampla experiência de dirigir.

“A inspiração original para redes neurais profundas foi o cérebro”, diz Hoel. E embora a comparação do cérebro com a tecnologia não seja nova, ele explica que usar redes neurais profundas para descrever a hipótese do cérebro superajustado foi uma conexão natural.

“Se você observar as técnicas que as pessoas usam na regularização do aprendizado profundo, muitas vezes essas técnicas têm algumas semelhanças impressionantes com os sonhos”, diz ele.

O que isto significa?

Tendo isso em mente, essa teoria dos sonhos sugere que sonhamos em ter uma compreensão mais completa do mundo. Assim como as redes neurais profundas envolvidas em IA e aprendizado de máquina, nossos cérebros se tornam muito familiarizados com um conjunto de dados específico em nossa vida diária.

Dr. Hoel diz que o cérebro cria uma versão estranha de nossas vidas em nossos sonhos para combater essa monotonia. Isso se compara ao abandono da tecnologia, o que faz sentido porque nossos cérebros são computadores enormes.

“É a própria estranheza dos sonhos em sua divergência da experiência de vigília que lhes confere sua função biológica”, escreve ele.

Já existem evidências para apoiar a nova teoria dos sonhos.

Hoel diz que já existem algumas pesquisas em neurociência que comprovam a hipótese do cérebro superajustado. Por exemplo, estudos mostraram que os humanos podem induzir sonhos sobre algo que acontece enquanto estão acordados.

Ao realizar uma nova tarefa repetidamente, você pode essencialmente levar seu cérebro a sonhar enquanto dorme. Dr. Hoel explica que treinar excessivamente o cérebro desencadeia o overfitting, então o cérebro generaliza a tarefa sonhando com ela.

No entanto, Hoel diz que são necessárias mais pesquisas para confirmar se esse é, de fato, o propósito dos sonhos. Ele explica que os estudos devem incluir testes comportamentais completos diferenciando entre generalização e memorização e como a privação de sono afeta ambos.

Além disso, ele quer investigar a ideia de “sonhos artificiais”.

A hipótese do cérebro superajustado veio a ele enquanto contemplava o propósito de obras de arte fictícias como filmes e livros. Ele postula que essas formas de arte podem atuar como substitutos dos sonhos.

Ele sugere que podemos até criar esses estímulos externos para retardar os efeitos cognitivos da privação do sono. Pode servir como um sonho acordado, enfatizando sua natureza onírica por meio de tecnologia de realidade virtual, filmes, livros e programas de TV.

Claro, você sempre pode desligar o aprendizado em redes neurais de IA, diz Hoel, mas os cérebros não funcionam dessa maneira. Os cérebros devem sempre continuar aprendendo coisas novas, e é aí que entra a hipótese do cérebro superajustado. Os sonhos ajudam a manter a vida interessante, tirando a monotonia da nossa existência cotidiana.

“A vida às vezes é chata”, diz ele. “Os sonhos existem para impedir que você se ajuste demais ao modelo do mundo.”

Esta é, sem dúvida, uma nova e interessante teoria dos sonhos que capta a complexidade do cérebro humano. Faz sentido que nossos cérebros criem planos para escapar de nossa existência repetitiva.

Felizmente, estudos futuros farão descobertas ainda mais fascinantes sobre o propósito dos sonhos.

Por Power of Positivity

Traduzido e Adaptado por Equipe Ideias Nutritivas

Imagem de Capa: Merlin Lightpainting por Pixabay 

OUTRAS LEITURAS






Por Márcia Lourenço. Sou Nutricionista e pós-graduada em fisiologia, bioquímica e nutrição do esporte. Apaixonada por nutrição e por comida que nutra o corpo e alma, sem terrorismos! O intuito principal da Ideias Nutritivas é trazer novidades e curiosidades sobre nutrição orientando-os nas melhores escolhas, publicando dicas alimentares, receitas, curiosidades e estilo de vida. Além disso, estou aqui para incentivar pensamentos e atitudes positivas, com conteúdos inspiradores e histórias motivadoras que nutram os seus sentidos! ?