A Triboniophorus aff. graeffei ou a gigante lesma rosa fluorescente, encontrada apenas no topo do Monte Kaputar, em Nova Gales do Sul, na Austrália, sobreviveu aos incêndios que devastaram grande parte de seu habitat.

A montanha possui um vulcão já extinto, onde existem mais de 20 espécies de lesmas e caracóis raros que não são encontrados em nenhum outro lugar do planeta. Cerca de 60 lesmas sobreviventes foram vistas por guardas florestais do NSW National Parks and Wildlife Service do Monte Kaputar.

Descoberta somente em 2013, a lesma tem um tom de rosa intenso e brilhante, atinge um tamanho maior do que uma mão humana, crescendo até 20 centimetros de comprimento e é carnívora.

Algumas das lesmas fluorescentes conseguiram resistir ao incêndio se protegendo nas fendas das rochas, mas calcula-se que 90% da população tenha sido morta pelas chamas.

O malacologista do Museu Australiano, Frank Köhler, disse em entrevista ao The Guardian que a lesma do Monte Kaputar pode levar cerca de cinco anos para se recuperar dos incêndios, enquanto os caracóis podem levar 20 anos.

Lesmas e caracóis “são a base de todos os nossos ecossistemas”, disse Köhler. “Eles são a fonte de alimento fundamental para muitos mamíferos e pássaros. As espécies não existem independentemente de outras espécies, e precisamos tentar manter todo o sistema e todas as espécies nele contidas contra impactos ambientais, como os incêndios”, disse Köhler.

A chuva amenizou os incêndios e houve redução nas temperaturas que foram recordes na Austrália, mas o parque nacional do Monte Kaputar ainda é afetado pelas queimadas florestais e permanece fechado aos visitantes até 28 de fevereiro.

Imagem de Capa: Facebook

Márcia Lourenço
Sou Nutricionista e pós-graduada em fisiologia, bioquímica e nutrição do esporte. Apaixonada por nutrição e por comida que nutra o corpo e alma, sem terrorismos! O intuito aqui é orientá-los nas melhores escolhas, publicando dicas alimentares, receitas, curiosidades e estilo de vida. Sintam-se bem comendo bem! 🍏

COMENTÁRIOS