Antigamente, em todo o Brasil, e até hoje em algumas regiões mais pobres, a água que disponível para beber, preparar comida e higiene de forma geral, nem sempre era confiável. Muitas vezes eram provenientes de poços, rios duvidosos ou era canalizada e fornecida através de fontes e chafarizes construídos pelo governo.

Em busca de água pura e fresca, criaram-se os filtros e finalmente havia água potável dentro das casas. O filtro de barro que é usado há muitos anos, tem seu sistema de filtragem por gravidade, e é bastante lento comparado aos filtros de forte pressão.

A água é filtrada gota a gota de um reservatório a outro, assim a vela cerâmica  tem mais tempo para fazer seu trabalho e recolher os sedimentos, elementos químicos e micro-organismos.

O tradicional filtro de barro brasileiro é bastante eficiente na filtragem de impurezas, na retenção de cloro, pesticidas, ferro, alumínio, chumbo e do parasita Criptosporidiose, espécie causadora de febre, náuseas, diarreias e dor abdominal.

Segundo estudos realizados e publicados no livro americano “The Drinking Water Book”, no qual avaliaram diferentes tipos de filtros e águas engarrafadas, classificaram o filtro de barro brasileiro como o melhor meios de filtragem do mercado mundial.

Mas atenção aos produtos que estão a venda no mercado. O filtro bom é o clássico mesmo. E também, não basta só ter o filtro. É importante se lembrar que a qualidade da água depende também da manutenção. E que não é preciso utilizar produtos químicos ou de limpeza.

Imagem de Capa: Arnie Watkins no Pexels

OUTRAS LEITURAS



Márcia Lourenço
Sou Nutricionista e pós-graduada em fisiologia, bioquímica e nutrição do esporte. Apaixonada por nutrição e por comida que nutra o corpo e alma, sem terrorismos! O intuito aqui é orientá-los nas melhores escolhas, publicando dicas alimentares, receitas, curiosidades e estilo de vida. Sintam-se bem comendo bem! 🍏

COMENTÁRIOS