Não há nada como o calor e a segurança de um ente querido envolvendo você nos braços. O simples ato de dar e receber abraços verdadeiros pode mudar completamente o seu humor.

Você se sente amado, protegido, seguro e único. Tenho certeza de que não exista uma única ação que possa replicar a sensação de dar e receber um abraço.

O bom é que dar é o mesmo que receber quando se trata de abraços, certo? Agora, a ciência diz que com um abraço você pode ser mais inteligente.

Se você tivesse cerca de 60 centímetros de comprimento e pesasse aproximadamente 4 Kg, seu cérebro se desenvolveria melhor. Pesquisadores revelam que crianças que recebem mais abraços têm cérebros melhor desenvolvidos.

BEBÊS E SEU DESENVOLVIMENTO CEREBRAL ATRAVÉS DO TOQUE

Quando pensamos em aprender, consideramos ler, estudar, usar nossas mãos, cálculos e outros processos. Começamos, quando bebês, a explorar tocando as coisas. Dos nossos cinco sentidos, o toque é o primeiro a se desenvolver. A partir disso, um bebê recém-nascido navega em seu novo mundo.

De acordo com um artigo publicado no Stanford’s Medicine, a Dra. Susan Crowe, obstetra e diretora do Hospital Infantil Lucile Packard, descreve os nove estágios instintivos logo após o nascimento.

Choro de nascimento, relaxamento, despertar, atividade, descanso, ‘buscar’ (movimentar-se em direção ao peito), familiarização, sucção e sono.” 

Assim que o ambiente é fisicamente seguro para a mãe e o bebê, é hora de ter contato pele a pele e orientar o bebê para a amamentação.

Apenas segurar o bebê dentro da primeira hora, independentemente da amamentação, pode ajudar a normalizar a temperatura corporal, os batimentos cardíacos e o padrão de respiração do bebê. Para muitos bebês, também diminui a quantidade de choro.

Simultaneamente, a mãe libera mais hormônios de relaxamento. Isso também se torna o tempo de ligação entre mãe e bebê. Se o parceiro da mãe também segurar o bebê, ele inicia o tempo de vínculo para ele também.

BENEFÍCIOS DA MASSAGEM INFANTIL

Massagens infantis também poderiam ser integradas a essa experiência de união. O mesmo artigo no Stanford ‘ s Medicine observa uma ampla gama de benefícios. Segundo Maureen McCaffrey, instrutora de massagem infantil certificada no Hospital Infantil Packard, esses benefícios consistem em:

  • Melhores padrões de sono para o bebê
  • O bebê parece mais consciente de ser amado, seguro e aceito
  • Digestão e funcionamento intestinal melhorados
  • Os bebês demonstram mais conforto tendo um comportamento menos exigente
  • O ganho de peso melhora
  • Mãe e bebê parecem mais relaxados
  • Função neurológica em bebês é melhorada

Outro estudo feito na Universidade de Washington teve como objetivo localizar a área do cérebro na qual um bebê registra o toque “sentido” e o “toque observado”.

Este estudo prova que os bebês podem discernir entre um toque físico real e a imagem de uma mão tocando outra pessoa. O estudo constatou que, aos sete meses de idade, um bebê pode não apenas entender o conceito de “eu”, mas também sabe que seu corpo está separado de outra pessoa.

O PODER DO TOQUE PARA OS BEBÊS

Esse conhecimento foi o que estabeleceu a base para imitar o comportamento de outras pessoas e também para desenvolver empatia. Os pesquisadores descobriram através de imagens especializadas que registram o toque no córtex somatossensorial.

Dependendo se foi um toque real, qual parte do corpo o contato ocorreu ou se era uma imagem, a localização e a força do sinal no córtex somatossensorial no qual foi registrado, mudaram.

O que também foi fascinante foi reconhecer que o bebê, antes que ele possa falar ou saber as palavras para partes do corpo, já entende que suas mãos ou pés se movem de maneira semelhante à de outra pessoa.

Imitando como a outra pessoa se move, o bebê também é capaz de se mover. É esse processo que torna possível as imitações e, posteriormente, a empatia.

Em um estudo oposto, os pesquisadores estudaram o prejuízo das crianças que não recebem toque. Um relatório da Pediatrics Child Health, publicado no PMC, concentrou-se principalmente no movimento dos membros como uma forma de estimulação sensorial.

Eles descobriram que, com 10 minutos por dia de manipulação, durante dez semanas, os bebês “cospem” menos. Os bebês com 20 minutos de estimulação tátil diária, durante dez semanas, aumentaram os seus escores de desenvolvimento.

No caso de bebês prematuros, acariciar os membros com movimentos leves demonstrou maior ganho de peso, maior atenção, mais mobilidade, melhor adaptação a estímulos repetidos e consciência de seus corpos.

Depois de um ano, eles pontuaram alto no peso, no crescimento e nas habilidades motoras e reduziram sintomas disfuncionais neurológicos leves.

OXITOCINA E ABRAÇOS

A ocitocina é um hormônio e neurotransmissor produzido em nosso hipotálamo e liberado por nossa hipófise. Seus níveis aumentam durante a amamentação, orgasmo e abraços.

No que diz respeito ao efeito sobre os bebês e seu desenvolvimento, a ocitocina incentiva a ligação entre a mãe e o bebê. Isso pode explicar por que a amamentação aumenta os níveis hormonais da mulher. Tende a promover sentimentos de confiança, proximidade nos relacionamentos e instinto ou cuidado materno.

Embora a ocitocina tenha sido apelidada de “hormônio do amor” ou “hormônio do abraço”, originalmente, era reconhecida como o hormônio que, quando liberado no sangue, ajuda nas contrações uterinas e que induz o parto.

Com o tempo, descobriu-se que ela tem uma reação diferente quando é liberada no cérebro. Causando efeitos variáveis ​​em nosso comportamento cognitivo, emocional e social.

NOÇÕES BÁSICAS SOBRE OCITOCINA E DESENVOLVIMENTO DO CÉREBRO

O entendimento geral de como a ocitocina afeta nosso comportamento emocional e social é um pouco complexo. Essencialmente, se você estiver com um indivíduo ou em um grupo de pessoas e tiver uma interação que desencadeie níveis mais altos de ocitocina como uma experiência positiva, você os verá como seguros, confiáveis ​​e desenvolverá afeto por eles.

Por outro lado, seu cérebro verá outras pessoas diferentes daquelas pessoas como menos credíveis, não seguras e você estará menos protegido. Este é um método no qual você estabelece sua “tribo” de amigos e percebe quem é sua família.

Além disso, pode desempenhar um papel na sua memória social. Através da liberação de ocitocina, sua memória vê um evento específico mais favorável do que aquele em que não liberou ocitocina.

O que isso tem a ver com o desenvolvimento do seu filho e do cérebro? Os pesquisadores continuam estudando a ocitocina devido à sua natureza muito complexa.

No entanto, é importante entender que a maneira como percebemos amigos, familiares e estranhos e interagimos emocionalmente um com o outro é definitivamente um fator em nossa memória e comportamento.

Isso vale para um bebê que está formando sua compreensão do mundo com base em como eles interpretam as ações das pessoas ao seu redor.

CONSIDERAÇÕES FINAIS SOBRE ABRAÇOS E CRIANÇAS

A ciência ainda busca encontrar a fórmula de por que o toque é tão importante e como nosso cérebro o assimila em relação ao nosso desenvolvimento, mas a maioria dos pais parece entendê-lo independente disso.

Os resultados de abraçar um bebê, uma criança, um adolescente ou seu parceiro, são aqueles que a maioria de nós pode reconhecer. Todos desejamos uma sensação de segurança, confiança, amor e importância.

E um simples abraço promove esses sentimentos em todos nós. Além disso, você não pode dar um abraço sem conseguir um abraço! Isso é maravilhoso por si só!

Por Power of Positivity

Traduzido e Adaptado por Equipe Ideias Nutritivas

Imagem de Capa: Mikael Stenberg no Unsplash

 

 

OUTRAS LEITURAS



Márcia Lourenço
Sou Nutricionista e pós-graduada em fisiologia, bioquímica e nutrição do esporte. Apaixonada por nutrição e por comida que nutra o corpo e alma, sem terrorismos! O intuito aqui é orientá-los nas melhores escolhas, publicando dicas alimentares, receitas, curiosidades e estilo de vida. Sintam-se bem comendo bem! 🍏

COMENTÁRIOS